segunda-feira, 2 de maio de 2011

Sentada, uma mulher olha

Sentada, uma mulher olha o movimento dos carros que se vão na Avenida de Roma, envoltos numa chuvinha miúda, para nunca mais. Nunca mais regressar à cidade amada... só a voz dos poetas ou um ocasional bilhete postal para embalar a saudade:

"Nas nossas ruas, ao anoitecer,
Há tal soturnidade, há tal melancolia,
Que as sombras,o bulício, o Tejo, a maresia
Despertam-me um desejo absurdo de sofrer."

Cesário Verde, "O Sentimento dum Ocidental"


Sérgio Godinho e Caetano Veloso

Sem comentários:

Enviar um comentário