sábado, 30 de julho de 2011

Frutos e gentilezas

Para Ujm, in heaven


Melão
no orvalho da manhã
fresco de lama



Matsuo Bashô, O Gosto Solitário do Orvalho, Lisboa, Assírio & Alvim, 1986 (versões de Jorge Sousa Braga). 


2 comentários:

  1. Que sensibilizada fiquei, que generosidade a sua.

    Comecei por ler o poema, surpreendente, tão adequado como 'day after' face ao que ontem escreveu e só depois reparei na dedicatória, que verdadeiramente me tocou.

    Sabe? Eu tinha ficado a pensar no que lhe tinha escrito, 'para relativizar', apreensiva pois há tristezas que não se podem relativizar e receei tê-la magoada com o que poderia ser entendido como uma ligeireza insensível.

    Mas ainda bem que as minhas palavrinhas tão simples a confortaram um pouco e muito sinceramente desejo que hoje já se sinta mais animada.

    Gostava de poder dizer ou fazer alguma coisa mais mas não sei como. Mas receba a minha estima assim por escrito, como se fosse a tal cestinha de figos.

    ResponderEliminar