quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Ecos e citações

A propósito dos vasos comunicantes da voz humana, literária ou não, evocam-se aqui estas palavras de Teolinda Gersão:

"Na pág. 78 a definição de arquitectura e a frase «as cidades como fruta podre...» são de Le Corbusier, a pág. 131 inclui um passo das Memórias de Raul Brandão.
O resto do texto também não é meu. De diversos modos foi dito, gritado, sonhado, vivido por muitas pessoas, e por isso o devolvo, apenas um pouco mais organizado debaixo desta capa de papel, a quem o reconheça como coisa sua.
T. G."

[Pórtico (?) do romance]

Teolinda Gersão, Paisagem com mulher e mar ao fundo, Lisboa, O Jornal, 1985. [Belíssimo título!]



Sem comentários:

Enviar um comentário