domingo, 9 de outubro de 2011

Manuel da Fonseca e o Neo-realismo




Sabe bem aprender. Foi o que aconteceu no congresso internacional Manuel da Fonseca: Por todas as estradas do mundo. Conferências e comunicações interessantíssimas, que deram à leitora outra possibilidade de entendimento do poeta e do escritor, bem como do Neo-realismo, período em que se insere. O resultado é a vontade de reler o pouco que conhece deste autor - O Fogo e as Cinzas, quase nada - e de descobrir a sua poesia. Deu uma volta às estantes, e nada!

Têm por aí algum poema de Manuel da Fonseca? Um vosso preferido, que aconselhem?

3 comentários:

  1. Há pouco, escrevi no local errado. Sobre Manuel da Fonseca.

    Em jeito de escusa, sugiro-lhe também a voz de Adriano Correia de Oliveira. Magistral, a interpretação de Manuel da Fonseca.


    Boas leituras.

    Grata,

    e.

    ResponderEliminar
  2. Com essa é que me deixou apatetada. Já andei a percorrer as minhas estantes de poesia e nada. Ainda tenho que ir procurar em antologias. Nem me lembro de nada em particular, talvez sonetos, poesia rimada, será? Algumas coisas até foram musicadas, não é?

    Que ignorância, a minha.

    ResponderEliminar
  3. Muito obrigada pelas sugestões! Assim que puder, passo pela biblioteca, antes uma volta pela net!

    Um Jeito Manso - Ignorância partilhada; de vez em quando somos apanhadas nas voltas da poesia, não é?

    ResponderEliminar