terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Claridade

Para C.


Às vezes, reparamos no correr vivo e humano dos dias...
Se a cerrada névoa obscurecia tudo, hoje a ingenuidade e o movimento do aprender clarearam a paisagem. Fez-se sentir uma temperatura amena e boa.

Eis que surgem pedidos inesperados: a selecção de excertos do conto "O Homem", de Sophia de Mello Breyner Andresen. Aqui fica.

"A certa altura encontrei-me atrás de um homem muito pobremente vestido que levava ao colo uma criança loira, uma daquelas crianças cuja beleza quase não se pode descrever. É a beleza de uma madrugada de Verão, a beleza de uma rosa, a beleza do orvalho, unidas à incrível beleza de uma inocência humana."

"Foi então que vi o homem. Imediatamente parei. Era um homem extraordinariamente belo, que devia ter trinta anos e em cujo rosto estavam inscritos a miséria, o abandono, a solidão. [...] No próprio instante em que eu o vi, o homem levantou a cabeça para o céu.
Como contar o seu gesto?
Era um céu alto, sem resposta, cor de frio. O homem levantou a cabeça no gesto de alguém que, tendo ultrapassado um limite, já nada tem para dar e se volta para fora procurando uma resposta."

"Agora eu penso no que poderia ter feito. Era preciso ter decidido depressa. Mas eu tinha a alma e as mãos pesadas de indecisão. Não via bem. Só sabia hesitar e duvidar. Por isso estava ali parada, impotente, no meio do passeio. A cidade empurrava-me e um relógio bateu horas."

"Então compreendi por que é que o homem que eu deixara para trás não era um estranho. A sua imagem era exactamente igual à outra imagem que se formara no meu espírito quando eu li:
- Pai, Pai, por que me abandonaste?
Era aquela a posição da cabeça, era aquele o olhar, era aquele o sofrimento, era aquele o abandono, aquela a solidão.
Para além da dureza e das traições dos homens, para além da agonia da carne, começava a prova do último suplício: o silêncio de Deus."

"Muitos anos passaram. O homem certamente morreu. Mas continua ao nosso lado. Pelas ruas."


Sophia de Mello Breyner Andresen, "O Homem" in Contos Exemplares, Porto, Figueirinhas, 1991(24ª edição).


Sem comentários:

Enviar um comentário