quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Azul


Leitura de João Barrento e de Maria Gabriela Llansol - textos da escritora





E porque as palavras reverberam, acordam ecos, lembrou-se a leitora de outra ocorrência de azul. O filme de Kieslowski e essa actriz maravilhosa que é Juliette Binoche. Para sempre, um filme, uma canção para a Europa e o rosto da mulher. A face no espelho, paralisante, fascinante, inesquecível. 




2 comentários:

  1. Que beleza, Leitora, que beleza. Que luminosa associação de ideias.

    Adorei esse filme. Uma maravilha. Faz parte de uma trilogia fascinante. Neste tem razão, Juliette Binoche está excelente, intemporal.

    Ainda ontem andei às voltas com a Maria Gabriela, até peguei num excerto (que já tinha uma quase forma de poema) e coloquei-o lá no Ginjal. As palavras de Maria Gabriela Llansol 'mexem' comigo. Leio-as e parece que as palavras querem saltar para o meu colo.

    ResponderEliminar
  2. Que coincidência de gostos! Transcrevi acima uma passagem sobre o leitor de Llansol, não sei se conhece. É muito interessante, e comovente.

    Um beijinho

    ResponderEliminar