quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Uma faquinha amarela


Uma quarta de sabão
pra lavar o coração.
Uma faquinha amarela
para cortar a goela.


[Quadra popular citada por Luísa Dacosta, em O Planeta desconhecido e romance da que fui antes de mim, Lisboa, Quimera, 2000.]

2 comentários:

  1. Tem graça, do que se foi lembrar... Há quanto tempo não ouvia eu isto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bonito, não é? A nossa poesia popular é muito diversificada e expressiva, e não dispensa a crueldade...

      Eliminar