quinta-feira, 15 de março de 2012

A barca de ir, com golfinho azul


(... ou de como passar para além da espuma dos dias e da salsugem...)

Procurar a arte, ler os melhores livros; ouvir atentamente ___________ certo Menino pedia um comprimido de cultura para... (deviam ser de distribuição universal e gratuita, nos sítios de labor)




Ana San Filippo


"[...] Se desejo viver livre, é por enquanto necessário que o faça no interior desses moldes [da sociedade]. Sei que o mundo é mais forte do que eu. E para resistir ao seu poder só me tenho a mim. O que já não é pouco. Se o número não me esmagar, sou, também eu, um poder. E enquanto me for possível empurrar as palavras contra a força do mundo, esse poder será tremendo, pois quem constrói prisões expressa-se sempre pior do que quem se bate pela liberdade. E no dia em que só o silêncio me restar como defesa, então será ilimitado, pois gume algum pode fender o silêncio vivo.
É este o meu único consolo. Sei que as recaídas no desespero serão profundas e numerosas, mas a lembrança do milagre da libertação leva-me como uma asa a um fim que me inebria: um consolo que seja mais do que apenas isso, e mais vasto que uma filosofia: que seja, enfim, uma razão de viver."

Stig Dagerman, A nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer, Lisboa, Fenda, 1992.



E também lava a alma ouvir música excelente. Aqui, leitores, Caetano Veloso no seu melhor, ou de como odeio se faz doce:
 
 

Caetano Veloso, "Odeio"


(Parece que a chuvinha também veio dar uma ajuda. Foram as rezas, as danças, ou tão só a atmosfera com seus fenómenos? Outra hipótese? Essa não se diz, que lembra logo ppc c mr pit t pr patati patatá & Cª. Abrenúncio!)

2 comentários:

  1. As suas escolhas são sempre uma preciosidade. Esta de hoje é uma maravilha.

    Dá vontade de decorar (mas não tenho cabeça para decorar o que quer que seja o que, neste caso, é uma pena).

    Que a chuva lave todos os abatimentos ou transforme em ânimo renascido.

    (Esse 'odeio' também é o máximo, é absolutamente ternurento)

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que gostou. Em cima, transcrevi outra preciosidade, que até vem na linha das suas reflexões interrompidas sobre a sedução feminina...

    um abraço.

    ResponderEliminar