quinta-feira, 12 de abril de 2012

Floriram as rosas

Basil Besler (1561-1629)



II

Vejo-te, rosa, como livro enorme
com inúmeras páginas, entreaberto,
contando, em pormenor, uma felicidade única
que nunca ninguém lerá. És um livro mágico

que se abre ao vento e que até, de olhos fechados,
pode ser lido...
de onde as borboletas saem assombradas
por terem tido o mesmo pensamento.




Rainer Maria Rilke, Frutos e Apontamentos: Dívida de Coração à França, Lisboa, Relógio d'Água, 1996 (tradução e introdução de Maria Gabriela Llansol).  

Sem comentários:

Enviar um comentário