terça-feira, 28 de agosto de 2012

Linguagem (Eu/Tu)


"É na e pela linguagem que o homem se constitui como sujeito; porque só a linguagem funda realmente na sua realidade, que é a do ser, o conceito de «ego»."
 
"A consciência de si só é possível se se tomar conhecimento de si por contraste. Eu só utilizo eu ao dirigir-me a alguém, que na minha alocução será um tu. É esta condição de diálogo que é constitutiva da pessoa, pois implica que, reciprocamente, eu me torne tu na alocução daquele que por sua vez se designa por eu. [...] A linguagem só é possível porque cada locutor se coloca como sujeito remetendo para si mesmo, como eu, no seu discurso. Por isso, eu instituo uma outra pessoa, aquela que, por muito exterior que  seja a «mim», se torna o meu eco ao qual digo tu e que me diz tu."
 
 
Émile Benveniste, O Homem na Linguagem, Lisboa, Arcádia, 1978.

2 comentários:

  1. Curioso o seu texto e logo numa altura em que me confronto com a necessidade de explicar a uma criança que acabou de fazer 2 anos o que é o 'eu' e o 'tu'.

    No outro dia, fazia na varanda, sobre o tapete e com uma mantinha do irmão, uma cama e queria que eu me deitasse para me tapar. E eu fazia-lhe a vontade. E então ela dizia 'Agóa tu' e apontava para ela própria e deitava-se ao meu lado. E agora frequentemente diz isso. Geralmente era eu que lhe dia 'Vá, agora tu'. E ela percebeu que 'tu' era ela e, então, intitula-se 'tu'.

    A uma criança que ainda mal saíu da condição de bebé, como se explica que o 'tu' para os outros passa a 'eu' em contraste com esses mesmos outros?

    Acho que vou decorar o seu texto e amanhã apresento-lhe essa explicação... :)))

    Um beijinho!

    ResponderEliminar
  2. Faz muito bem, e, à mistura, dê-lhe beijinhos e miminhos, que ela vai perceber muito bem. :)

    Um beijinho

    ResponderEliminar