terça-feira, 8 de julho de 2014

Assim dizia Inês

Inês: Vá-se muitieramá!
Que sempre disse e direi:
mãe, eu não me casarei
senão com homem discreto,
e assi vo-lo prometo
ou antes o leixarei.

Que seja homem mal feito,
feio, pobre, sem feição,
como tiver discrição,
não lhe quero mais proveito.
E saiba tanger viola,
e coma eu pão e cebola.
Siquer uma cantiguinha!
Discreto, feito em farinha,
porque isso me degola.

Gil Vicente, Farsa de Inês Pereira, Porto: Porto Editora, s.d. (estudo, análise, notas, vocabulário e questionários de Albano Monteiro Soares).

Sem comentários:

Enviar um comentário