sábado, 2 de setembro de 2017

Deambulações por livrarias: Poesia


o casebre numa faixa de negro plúmbeo
uma bíblia em cada quarto

os amantes açoitam-se com maias palavras
(o girassol nocturno que esfregam das mãos em fúria)

o homem alivia-se da sua inteligência
lendo é olhado
tem no dedo a brasa da atenção

ela roça vestígios pelo tapete
como quem conta
os inteiros degraus da queda

não sabem ainda quantos são
para partilhar uma sombra

Frederico Pedreira. A Noite Inteira. Lisboa: Relógio d'Água, 2017. 

Sem comentários:

Enviar um comentário