domingo, 6 de novembro de 2011

Fugas

Enquanto ela se entrega a árdua tarefa, deixemos a leitora com os seus pequenos prazeres: Música.


Johann Sebastian Bach


[É tão antiquada, a nossa escola. Ainda e sempre as mesmas provas, quaisquer que sejam as mudanças. Como há décadas, desconsiderando continuamente a vertente artística, esquecendo o tempo...]

9 comentários:

  1. ...e que bem lembrado, o Glenn Gould.
    Lembro eu, agora e sem razão objectiva, o Arturo Benedetti Michelangeli


    -pirata-vermelho-

    ResponderEliminar
  2. Drama das nossas escolas: pretende-se projetiva e fica-se pela retrospetiva. Neste balanço, todos (se) perdem.

    Esta é a minha visão «da coisa».

    Obrigada.

    b.a.

    ResponderEliminar
  3. Ressalve o lapso, por favor.

    PROSPETIVA, oviamente!

    b.a.

    ResponderEliminar
  4. Escreve-se bem por aqui. Poesia, ensaio, divulgação. Espaço e sensibilidade e bom gosto. Como é bom andar por aqui.

    ResponderEliminar
  5. Luís, que boa surpresa! Muito obrigada pelas amáveis palavras. Fico contente por os textos divulgados terem chegado a um leitor e escritor tão interessante, de boa memória!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. terminar o domingo ao som de Bach tocado por Glenn Gould é um grande presente.Obrigada!
    MT

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que gostaram.

    Sejam muito bem-vindos, seja muito bem-vinda, Débora! Fico contente por partilharmos este gosto.

    ResponderEliminar