quinta-feira, 19 de abril de 2012

Eu não nasci aqui




Eu não nasci aqui, tu não nasceste aqui, ele não nasceu aqui; nascemos longe e viemos no rasto da promessa. Agora não sabemos o que fazer: o vento tudo revolveu, a neve tudo cobriu; já não são visíveis os sinais.

4 comentários:

  1. Mas o que é isto...?!

    Que reviravolta...! E que maravilha! Estou encantada. Já sabe que adoro mudanças, coisas imprevistas mas por esta é que eu não estava à espera...!

    Boa, Leitora!

    E o texto, tão bonito.

    Que mudança, que sangue novo. Boa!

    ResponderEliminar
  2. Agora quem ficou surpreendida fui eu, com a sua surpresa! O que faz uma fotografia trabalhada...

    A mudança não foi assim muito grande, mas a sua boa disposição e a surpresa deram-me já vontade de revirar pelo menos uns parafusos e de abrir portas e janelas, de voar para o sol... (Chagall já está por aqui.)

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Não é só a fotografia. É a mudança em si, é a inesperada cor do fundo, é a surpresa da imagem sob o título. Há um sopro de mudança, um arejamento.

    E o post confirma o espírito.

    Gostei mesmo.

    ResponderEliminar
  4. Ah! Já me tinha habituado às novas cores. Fico mesmo contente que tenha gostado. Aquele branco total já me estava a cansar muito... A lembrança dos pintores inspirou-me.

    Tenha uma boa sexta-feira!

    ResponderEliminar