quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pacto de inconforto

Nem sempre se encontram leitores de Maria Gabriela Llansol. Aqueles que entram no seu universo de escrita nunca mais querem deixar de a ler. Lêem  e gostam de partilhar as suas leituras:



Uma passagem sobre o texto llansoliano e o seu leitor, ou melhor, "legente":

"Os meus textos supõem um pacto de inconforto _______ são tal qual, se eu quiser que existam_____;
a palavra "inconforto" é, todavia, capciosa, indica incómodo e coração ansioso, à espera de um amigo sereno. Devo reconhecer que o meu texto, ao deixar inseguro o sujeito que enuncia, se dirige, de facto, ao ansiar do coração, e o coloca na sombra da dúvida. E, se o coração persiste em ler, é porque há nele um fulgor estético que ilumina o próximo passo, e o faz apoiar no detalhe justo e irrecusável."

Maria Gabriela Llansol, Lisboaleipzig 1: O encontro inesperado do diverso, Lisboa, Rolim, 1994.

Sem comentários:

Enviar um comentário