terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Homens em tempos sombrios

A televisão, os jornais, a vida de todos os dias, seja na esfera privada, seja no espaço público, não deixam dúvidas de que vivemos em tempos sombrios. Para os entendermos, para não esmorecermos, socorramo-nos dos melhores livros. Desta vez:

Hannah Arendt, Homens em tempos sombrios, Lisboa, Relógio d'Água, 1991.

Recorte do ensaio sobre Lessing - "A humanidade em tempos sombrios: Pensamento sobre Lessing" - , para meditar:

"São cada vez mais os habitantes dos países do mundo ocidental, que desde o declínio do mundo antigo considerou a liberdade em relação à política como uma das suas liberdades fundamentais, a exercer esta liberdade, retirando-se do mundo e das suas obrigações para com ele. Este alheamento do mundo não prejudica necessariamente o indivíduo; até pode permitir-lhe cultivar grandes talentos, elevando-o ao grau de génio, e por esse desvio o tornando uma vez mais útil ao mundo. Mas com cada um desses alheamentos verifica-se uma perda quase palpável para o mundo; o que se perde é o espaço-entre particular e geralmente insubstituível que deveria ter-se criado entre esse indivíduo e os seus semelhantes."

"A humanidade em tempos sombrios: Pensamento sobre Lessing" in Hannah Arendt, Homens em tempos sombrios, Lisboa, Relógio d'Água, 1991. 

Sem comentários:

Enviar um comentário